segunda-feira, 11 de abril de 2011

Escolher

Nem sempre são os grandes acontecimentos que nos impoem decisões duras. Uma conversa (que poderia ser ou não encarada de forma banalíssima por um terceiro) pode suscitar em nós correntes violentas por nos atingirem emocionalmente. E que fazer nessa altura? Reagir com prontidão ou deixar o momento passar em claro? Deixar a dor roer-nos a solo ou expressarmo-nos sabendo que isso vai magoar muito quem mais gostamos? Ficar ressentido e com medo ou estragar um dia lindo e uma memória boa? Ontem tive de decidir. Eu sabia que qualquer dos caminhos ia ser penoso.

8 comentários:

Mirian Martin disse...

Espero que tenha escolhido o melhor. ;)

beijocas, gato casadoiro. :)

mfc disse...

Quando a opção se impõe... não há nada a fazer!
Um abração.

TERESA SANTOS disse...

Deixar acalmar as "águas" e só depois agir.
Mas é sempre bom esclarecer as coisas.
Ressentimentos são, na maioria dos casos, resultado de situações não resolvidas, logo, ainda que doa, é bom esclarecer, conversar.
Espero que tenhas ido pelo caminho certo!
Beijinho.
P.S. Chama-se a isto seguidora fiel, ou não?!

R. disse...

@Mirian Martin:

Nem o melhor, nem o pior, mas está resolvido! :)

R.

R. disse...

@mfc:

Tem é que se ser sempre criterioso!
:)

R.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Fidelíssima! :)

R.

Marina disse...

Ia sugerir a prontidão, mas parece que não é preciso. E ainda bem!

Beijinhos do Oeste
M.

R. disse...

@Marina:

Beijinhos também! :)
R.