sábado, 19 de dezembro de 2009

Um presépio diferente




Trago-vos um presépio pouco convencional. Sim, o gatafunho é meu e, quem olha para ele, não diz que é um presépio. Mas é um presépio sim senhor, e é a minha prenda de Natal para vós.


Antes de mais, os figurinos. Nada de véus, cajados ou cordas cingindo os rins. Nada do habitual. E porque haveria de assim ser? Ao longo dos séculos os pintores sempre vestiram as imagens à moda corrente. Eu, por meu turno, permiti-me vestir esta Sagrada Família de modo a que passem despercebidos no início do Séc XXI. Nada de novo, afinal.


Depois, a disposição dos elementos. O que é feito do Menino ao centro, deitado na manjedoura com José e Maria ajoelhados, mãos erguidas ao céu, em adoração?


Bem, pensemos um pouco e sejamos razoáveis. Como terá sido aquela noite? Uma sarilho, claro! Perdidos num ermo, sozinhos numa gruta nos arredores de Belém, Maria em trabalho de parto e José a acudir-lhe conforme podia. Os homens têm fama de ser umas baratas tontas nestas alturas e provavelmente José não foi excepção, para mais sendo este à data "um assunto de mulheres" de onde os homens ficavam arredados. Se não causasse aflição, teria sido uma comédia ver o pobre e nervoso José nessa noite. Mas lá que se desenvecilhou, isso é certo.


Maria, já sabemos, não era uma mulher qualquer. Tomando como premissa a Imaculada Conceição, já sabemos que era criatura abençoada e digna de uns milagres. Contudo, não consta que o tempo de gravidez tenha sido fácil ou que haja sido presenteada com o parto sem dor e sem sofrimento. É de esperar, pois, que Maria tenha chegado ao fim do episódio dorida, exausta e a precisar de longo e merecido repouso.


Logo, é razoável esperar ver Maria logo de joelhos no chão e tronco ao alto guardando o Menino? Deixem-na descansar, por favor!


Ninguém me tira da ideia que essa longa noite foi de vigília, sim, mas para José, tomando conta de Maria e do filho. E, caso estejam já a corrigir-me o episódio alertando que Jesus não é filho de José, eu de plena convicção vos afirmo que pai é, também*, aquele que ama e que cuida.


Um Feliz Natal para vós, de todo o coração.









(*: "principalmente", apetece-me dizer)

40 comentários:

TERESA SANTOS disse...

Primeiro, OBRIGADA pelo lindo Presépio! E quem disse que não parece um Presépio? És muito modesto...
Como era de esperar, está uma delícia na sua adaptação á realidade que é o séc. XXI.
Relativamente ao José, penso não haver dúvida de que o pobre devia ter passado um mau bocado. É que homens "atarantados" sempre houve, é genético!
Agora, muito a sério, Gatito, concordo inteiramente contigo quando afirmas: "... eu de plena convicção vos afirmo que pai é, também*, aquele que ama e que cuida." É isso mesmo, e em muitos casos, muito mais do que muitos pais biológicos.
Um Feliz Natal também para ti.
Beijinho.

A Senhora disse...

E considerando que os anjos só ficaram cantando, os reis magos só chegaram bem depois e que vacas e burros não podem ajudar em nada, José deve ter sido pai, parteiro, faxineiro, camareiro... Um homem prá lá do sec. XXI! :)

Gostei do seu presépio!

beijinhos

TERESA SANTOS disse...

Oi! Posso "roubar" o Presépio para colocar junto à árvore?
Agradecida.:)

R. disse...

@A Senhora:

Homem sofre. É só ver as olheiras e o arzinho assustado do José lá no presépio e não há como não concordar. :)

R.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Mas esta mulher agora quer tudo?!?
É árvore, é embrulho, é boneca, agora é o presépio...
Vá, leve lá o presépio, mas as camisas estão a acumular-se na cesta de roupa...
;)

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá Amigo

Hoje levei a tarde toda a pôr um pouco em ordem a blogosfera no que me diz respeito. O que toma muito tempo so em visitas e alguns comentarios. Mas cá estou :)

Sabes, começaria por dizer que concordo inteiramente com o teu "principalmente", e, depois, que o teu desenho, tal como o do abraço que percorreu a web ;) está muitíssimo bem.

É como dizes: o Natal é isto: o Natal de hoje, simbolizado na família. Não numa adoração ou casa dourada, ou incenso, ou num Menino limpinho todo bonito com reis a adorá-lo e os pais em gesto de adoração, mas quiçá um casal com seu filho na rua, ou na sua casa que é a perfeita gruta de Belém, passando dificuldades com salários mínimos, com despesas, desemprego, etc.

Nesse sentido apanhaste no desenho muitíssimo bem o espírito do Natal, e o Presépio é esse, sim senhor. Acertaste em cheio. O Presépio é esse.

Claro que, tal como tens a liberdade criativa de o desenhar assim, despojado e simples (e mais realista), também ao longo do séculos os mais diversos artistas pintaram e desenharam e conceberam o Presépio a partir da Sua realidade (o estábulo, o pai e a mãe) mas porque Deus feito Homem, Deus-Menino, obviamente o pintaram rodeado de mimos, como anjos, pastores, bonitinho, limpinho, suave, doce, sem birras e ate com presentes mais tarde dos reis magos. Mas isso acontece hoje com os anúncios em que tudo é perfeito e até as pessoas são maquilhadas para aparecer na televisão e as fotos de revista são trabalhadas ao pormenor. Enfim, percebe-se o encanto que se tenta transmitir no meio da fealdade do mundo.

Mas gostei muito do texto e sobretudo do desenho.

Obrigado pelas palavras e pela lembrança no desenho :) sabes que eu já tinha visto e modestamente pensei que nao sabia até que ponto o tinhas feito com uma pontinha de pensamento no meu blogue? ;) Acertei.

Obrigado pela prenda, amigo. A minha é apenas a amizade, mas acredita que sincera e oblativa.

Quanto a ti... continua grande :) Mas ousa mais :) E que o Natal seja, como digo lá no estaminé, vivido de dentro para fora, coisa que tenho a ceteza que sim, porque somos seres relacionais e nao nos realizamos sozinhos.

Um enooooorme abraço, Rui e muito obrigado :)

R. disse...

@Daniel:

Amizade não poderia ser melhor prenda! ;)

Neste teu comentário foste desfiando muitas ideias que deixei nas entrelinhas. Gostei muito. Eu bem sei que tenho leitores neste blog capazes de captar o sumo das coisas. :)

Só não percebi quem é esse tal de Rui... ;)

R.

TERESA SANTOS disse...

Pois, pois, Lobinho, quem é o Rui? E, já agora, já viste a minha árvora da autoria de?... Isso mesmo, do nosso Amigo Gato.
E isso, menino Gato, de dizer que quero tudo, deixou-me tristinha...;)
E vivam as camisas por engomar!

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Pois pois, as pessoas tristinhas colocam um smiley destes no fim... ;)

R.

Amèlie disse...

Maria, que coisa mais providencial!

O sono dos justos!!!



Amazing!

R. disse...

@Amèlie:

Merecidíssimo!
:)

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Deixei lá agora o comentário, Teresa. Foi uma óptima ideia e, (nada que me admirasse), obviamente correspondida e BEM. O Rui deve ter-me saído num daqueles erros de simpatia por supor ser essa a inicial. Tamnbém não vamos psicanalisar isso ;)

Resposta também para ti, Amigo R. E obrigado pela resposta :)

R. disse...

@Daniel Silva:

Ora essa. :)

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

*** FELIZ NATAL ***!

TERESA SANTOS disse...

FELIZ NATAL, Gatito!
Que 2010 seja muito "teu amigo", em todas as coisas importantes da tua vida.
Sê feliz, Gatito, no teu castelo!

Abraço, Amigo, e desculpa as exigências!:)

TERESA SANTOS disse...

Para que conste, cá vai o Presépio...

TERESA SANTOS disse...

Espreita o meu blog.
Abraço.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Feliz Natal para ti também. :)
Lá irei ao blog, sim. :)

R.

Jane Doe disse...

Gostei do desenho!

Posso levar para lhe fazer umas maldades, posso?

Depois eu mostro:P

Feliz coiso.

;)

R. disse...

@Jane Doe:


O presépio é uma prenda para todos os que passam aqui n'O Gato do Castelo.

Obviamente que se é prenda, é para levar. Mas a prenda que se gosta não se faz maldades feias. Para mais porque, quem ofereceu, tem um imenso carinho neste desenho.

Leva e depois vem mostrar a tua versão. ;)

"Coiso" é Natal. Feliz Natal, Jane. :)

R.

Jane Doe disse...

R.:

Mas eu disse maldades. Não disse maldades feias.

Mostro sim, e aposto que vais gostar!

Ok, ok, Feliz NataL!!

;)

R. disse...

@Jane:

Aposto que sim. Cá espero. ;)

R.

Jane Doe disse...

R.:

Oh, se apostas o mesmo que eu não há aposta.

Eheheheh.

R. disse...

@Jane Doe:

Nisso estás coberta de razão. :)

R.

Sisa disse...

Lindo presépio, você não podia estar mais certo. Eu que nunca tinha parado pra pensar nisso, hehehe. E você tem razão, quem cria é pai, e portanto, nada mais justo que dizer que José era pai do menino Jesus. =)

Desculpe o sumiço e ser tão descuidada com os blogs dos amigos, mas é que minha vida gelada na sua terra não andava lá tranquila hehehe.

Beijos e feliz 2010!

R. disse...

@Sisa:

Ainda bem que gostou!

E sumiço não é problema, o sumido sou eu muitas das vezes. E o frio não deve ser assim tanto senão a Letónia nem era opção! :)

R.

Bom disse...

O que é gatafunho? Pelo contexto presumo que seja desenho. Adorei, o desenho é doce e cheio de significados como deve ser a boa arte. Não que existe má arte. Mas a sua é ótima. Obrigada por ter me colocado no sua lista de blogs aqui do lado direito. Entrei como Bom, mas sou eu, Elisa de Yokohama
beijos,

R. disse...

@Bom, a.k.a. Elisa de Yokohama:


Elisa, que Bom vc ter passado por cá novamente! :)

Sim, "gatafunho" é um rabisco, um garatujo, qualquer coisa mais ou menos mal riscada no papel. Eu gosto da palavra "gatafunho" porque está relacionada com Gato (do Castelo, rsrs...). Logo, gatafunhos é o que eu chamo aos meus desenhos. Não costumo fazer muitos, embora este Natal tenha feito alguns.

Que bom que você gostou do meu presépio. E sim, é mesmo o meu presépio: coloquei-o numa moldura junto à árvore. :)

Vá passando sempre que eu irei passando lá no "Elisa no Blog".

Arigato Gozaimasu,

R.

TERESA SANTOS disse...

Pois, pois!
Mas quando é que há outro post? As rabanadas ainda não acabaram?!

mfc disse...

Sim... deixemo-los descansar!
Todas as "premiéres", todas as noites de estreia são desgastantes!!

Que tenhas um grande grande 2010 com tudo que desejas!
Toma um abraço.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

De facto, as rabanadas ainda não acabaram e já estou a sofrer de overdose. :)

R.

R. disse...

@mfc:

São pois!
Um grande abraço para ti também. :)

R.

TERESA SANTOS disse...

Bem feita (por causa da overdose, claro!).
É só para comunicar ao Sr. D. Gatito que tem uma prendinha no meu blog.
É favor ir buscá-la...

Marina disse...

Ja e tarde, mas quero que saibas que acabei um post a pensar em ti, Gato vizinho! =)
Ate breve!

PS: E ja agora, gostei muito do Presepio.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Lá irei, lá irei... :)
Eu, por prendas, é como por leite.

R.

R. disse...

@Marina:

A pensar em mim?!? Ena, estou todo vaidoso! :)

R.

TERESA SANTOS disse...

É só mimo...

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Ora! :)

R.

verainacio disse...

R. EU n sou de cá, mas fiquei encantada com este presépio... ficou só uma dúvida... não leve a mal... mas... (eu vou levar nas orelhas...) José está a usar uma conquilha? ;)

Beijoca e um fantástico 2010

R. disse...

@verainacio:

Claro que é de cá! Toda a gente que passa pel'O Gato do Castelo é de cá e pode servir-se de chá e bolachas.

Quanto à conquilha, isso para mim é uma concha. Mas, seja lá o que isso seja, não é suposto José estar a usá-la. Pode atirar as culpas para cima do desnhador naïf (eu!).

R.