terça-feira, 27 de outubro de 2009

Ainda Saramago

É impossível não partilhar convosco esta tirada da Rosarinho no Farinha Amparo (os sublinhados são meus):

"2. O nosso antipático nobelizado Saramago conseguiu pôr esta merda toda de pernas para o ar e fazer esquecer a causa nacional que foi na semana anterior a luta anti-Maitê Proença, dando uma entrevista onde dizia que a bíblia é um manual de maus costumes e que Deus é um cabrão vingativo e rancoroso. Mais coisa menos coisa. Ora eu fiquei parva para a minha vida com isto tudo, até porque nem sabia que a bíblia tinha sido escrita em Portugal e muito menos que Deus é Português! Pela quantidade de gente ofendida, deve ser. Mas a gente está sempre a aprender, é o que eu digo."

Ri-me com vontade, com muita vontade mesmo. Como recursos de estilo no humor, o cinismo e a ironia são de ir às lágrimas. :)

6 comentários:

A Senhora disse...

É muito, muito difícil não se viciar na Farinha Amparo exatamente por estas tiradas. :)
Algumas segundas-feiras não são para mim, porque só dizem respeito a Portugal, mas outras...
Ela é fantástica! :)

beijinhos

R. disse...

@A Senhora:

É verdade. Tem tiradas muito, mas muito boas. E é cá do burgo e tudo! :)

Beijinho,

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Bem escrito, sim senhor :) A amiga escreveu de forma cirurgicamente sublime.

abraço

R. disse...

@Daniel:

Eu gostava de saber é onde se vai buscar tanta imaginação. :)

Abraço,

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Não é difícil. Se leres os blogs do Peter of Pan e/ou rafeiro Perfumado, que têm uma vertente apenas cómica a partir de situações reais, perceberás que aquilo que é endógeno acaba por sair nessas pessoas com imensa naturalidade. Eu, se quisesse escrever textos humorísticos, teria imensa dificuldade. Quando é algo inacto, é simples como escrever um comentário :)

ab

R. disse...

@Daniel:

Sim, há pessoas que fazem isso com brilhantismo e rapidez. Fazem-no naturalmente, embora me pareça que também possa ir sendo treinado (quanto mais não seja pela experiência).

ab,

R.