quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Gatafunhos de abraços




Abraço para o Ouriço, da torre de menagem para a toca. Encheu-me de espinhos, o safado, mas o abraço caiu que nem ginjas. É um abraço dos bons, tenho a certeza. E aqui vai a encomenda aviada:


1 - Quem mais gostas de abraçar no presente?
Não há muitas pessoas que possa abraçar no presente. Verdade. O mundo parece funcionar ao contrário, temos mais facilidade em fugir do que abraçar. Mas há pessoas que abraçam e se deixam abraçar incondicionalmente. Sim, não basta abraçar, é preciso deixar-se ser abraçado. Precisa haver verdade e carinho entre quem (se) abraça, mútuo, presente. Mana, toma lá um abraço.

2 - Quem nunca abraçarias?
A quem se recusasse a não deixar entrar nem um pouco de luz no seu coração. Porque, lá está, o abraço tem de partir de parte a parte. Obviamente que isto exclui toda a gente excepto os mais tenazes em serem ruins.

3 - Quem davas tudo para poder abraçar?
Ui, tanta gente. Tanta gente que se gostava de abraçar e não é possível: ou porque estão longe, ou porque não temos confiança, ou porque já partiram, ou porque temos medo de sermos tomados por tolinhos ou abusados, ou... Muita gente tem-me ajudado ultimamente e grande parte deles nem sonha que o fez. Como eu gostava de os abraçar a todos.

4 - A quem davas o teu melhor abraço?
A quem o quisesse mesmo, de verdade. E o merecesse, claro. Isto pressupõe que eu não tenho um único melhor abraço, mas uma fonte de melhores abraços reinventados sempre que possível e necessário. Perfeitamente correcto.

A imagem lá em cima é um gatafunho meu. Um auto-retrato figurado de como o Gato abraça: com dois braços tão grandes tão mas tão grandes, capazes de engolfar o mundo, e um coração que não cabe lá dentro.

Claro que, daqui do Castelo, o abraço segue para toda a gente que por cá vier, sem regatear. Todos! Há aqui uns quantos que vou deixar explícitos pela minha curiosidade:

- ao mfc, já que está sempre a dizer que me compreende muito bem;
- à Senhora, porque não podia faltar, né?!?;
- ao Rabisco, porque anda desaparecido e talvez um abraço o faça voltar;
- ao Daniel, pelo que me faz pensar e reflectir;
- à Marina, que parece andar a precisar de um;
- à uminuto, pelo mesmo motivo.


14 comentários:

Erika Freitas disse...

Nada é tão aconchegante quanto um bom abraço!

mf disse...

O desenho é fabuloso, ó R... :)

Abraço (outro)
;)

R. disse...

@Erika Freitas:

Nada mesmo. :)

R.

R. disse...

@mf:

Os gatos ficam sempre bem na fotografia. Elegância natural. :)

Abraço (claro!),

R.

mfc disse...

O desenho e as palavras são fantásticos... e muito obrigado!

PS - O post já está corrigido... já lá consta o link que era merecido.

R. disse...

@mfc:

:)

R.

A Senhora disse...

Adorei a sessão abraço! :)

Os meus eu coloco no sábado.

beijinhos... e abraço. ;)

R. disse...

@A Senhora:

Sábado eu levo o portátil para o telhado para verificar. :)

Abraço,

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Eh pa, acredita que me sinto assim... uma criança envergonhada, um aluno perante um professor...

Antes de mais tens o dom da palavra. És inteligente. Eu sou apenas intuitivo e tenho o Amor universal como sendo a minha inteligência. Quero dizer com isto que eu não te posso fazer pensar assim tanto, inteligente como és. E mais: gostaria de receber o abraço por outro motivo qualquer, que não esse. Porque gosto muito dele, por exemplo, eh eh.

A sério: quero agradecer o facto de meteres mencionado e permite-me desde já dizer como AMEI o teu desenho e a sua explicação. Também é assim que vejo o meu amor universal e a entrega. Acho que isto dava um bom desafio, embora talvez com outras perguntas. Achas que posso usar o teu desenho (obviamente identificado) e um dia destes fazer um desafio como este que hoje fazes?

Depois do desenho (soberbo, lindo, pela mensagem inclusa) isto define-me talvez sem o saberes e explica o que falo de mim acima: "há pessoas que abraçam e se deixam abraçar incondicionalmente".

Quando não damos, quando usamos defesas mais do que as necessárias, o que estamos a lucrar com isso? Porque não havemos de ser simplesmente nós? Num abraço universal e também particular a este ou àquele alguém, porque sim. O Amor foi-nos dado gratuitamente: gratuitamente o devemos oferecer.

Recebo o teu abraço e alongo-to com a mesma intensidade com que o dás.

... e obrigado.

Marina disse...

Ora toma la um abraço tambem! =)
Eu adoro abraçar gatos, especialmente em tardes de Domingo com Sol.

Beijinhos
PS: Adorei o gatafunho!

R. disse...

@Daniel:

Mas que grande comentário, Daniel! Afinal, afinal... quem tem o dom da palavra? :) Substimaste-te demasiado aqui, Daniel, pois és uma pessoa muito inteligente e de muito boa escrita. Eu não preciso de dizer isto - o teu blog di-lo por mim.

Obviamente que poderás usar o desenho posteriormente - será uma honra para mim! :)

E, claro, quem dera não usar defesas, poder dar e receber sempre e incondicionalmente. Gatos escaldados...

Um abraço,

R.

R. disse...

@Marina:

Os gatos são bons de abraçar em todos os dias da semana. Mas cuidado, que alguns são esquivos, mal agradecidos e arranham quando não estão de modas.

O gatafunho parece mesmo estar a fazer sucesso. Quem diria...

R.

Rabisco disse...

=)
Parece que resultou...
Algures no tempo senti um abraço vindo lá, ao longe, e acordei de mansinho...
Despertei devagarinho e vim parar aqui!
=)
Fiquei contente, acredita!
Obrigado rapaz e aqui segue outro grande abraço para ti!

=)

R. disse...

@Rabisco:

Sejas bem aparecido, Rabisco.
Ficaste contente?
Óptimo! Era essa a ideia... ;)

R.