terça-feira, 10 de novembro de 2009

Aula de alemão




Munique.

Pela primeira vez deslocava-se ao estrangeiro em trabalho.

Pela primeira vez tinha de fazer uma apresentação pública do seu trabalho perante os pares.

Pela primeira vez tinha de tomar a palavra em inglês e falar perante uma audiência.

E era já amanhã. A última apresentação do último dia do simpósio.

Apesar das quatro estrelas do hotel na elegante Leopoldstrasse, os dedos do desconforto teimavam em não lhe dar paz dentro daquele quarto. Apresentação mais do que revista e descurso ensaiado, só lhe faltava uma boa noite de sono. E sono não tinha.

Suspirou. Sentou-se na margem da cama, sobre a coberta florida de tons escuros e ligou a TV. Não lhe interessava a programação, não dominava uma palavra da língua. O aparelho cinzentão e quadrado cingia-se à vontade de uma máquina de passar o tempo na esperança que o cansaço se sobrepusesse aos nervos.

-- Os programas idiotas do costume...

Passava naquele momento um concurso apalermado para onde os telespectadores deveriam ligar respondendo a uma pergunta básica e assim ganhar alguma coisa. Conseguiu entender uma questão sobre a origem das batatas fritas (os alemães tinham feito o favor de adoptar o francês pommes frites).

Captou um ponto de interesse. Dado o jaez do programa, o número de telefone para onde os telespectadores deveriam ligar era repetido vezes sem fim, com o número escrito em letras amarelas e gigantes no ecrã, brilhando algarismo por algarismo em sincronia com a voz do apresentador que, lentamente e com boa dicção, os ia ditando.

Começou a repetir o número de telefone em simultâneo com o apresentador:

-- 942 536 536 - repetia - Neun vier zwei, füenf drei sechs, füenf drei sechs.

Mais uma pergunta, mais uma vez o número de telefone.

-- Neun vier zwei, füenf drei sechs, füenf drei sechs.

Teve a sensação de estar a assistir a um sucedâneo do Follow me!, programa de ensino de inglês que passava na TV depois da tele-escola quando era garoto, onde um senhor de aspecto muito british, impecavelmente vestido dentro de um fato cinzento e chapéu de côco aparecia no genérico subindo as escadas do Underground londrino.

-- Neun vier zwei, füenf drei sechs, füenf drei sechs.

Este improviso de aula de alemão rapidamente esgotou o seu interesse por amputado de alguns algarismos. O que era feito do um, do sete, do oito ou do zero?

Enfadado, premiu o botão do telecomando. No pantalha seguiam-se agora em catadupa anúncios de linhas eróticas, onde mulheres despidas em poses lânguidas ofereciam dois dedos de conversa ao telefone pago a tarifas absurdas.

-- Boa! - exclamou - Mais números de telefone!

E foi assim, entre olhos de carneirinho mal morto e vozinhas arrastadas que o Gato acabou por aprender também eins, sieben, acht e null.

A apresentação no dia seguinte foi OK, já que perguntam.

Auf Wiedersehen.

21 comentários:

A Senhora disse...

Bom, só aprendeu 3 algarismos com mulheres nuas... e 7 com perguntas "interessantes"...

Daí deduz-se que você aprende pouca coisa quando tem uma mulher nua por perto. :)))

Mas rendeu uma excelente história!

beijocas

R. disse...

@A Senhora:

Já dei uma enorme gargalhada! XD

Mas o seu sofisma é fácil de desmontar porque parte de uma premissa errada: não havia nenhuma mulher nua por perto, apenas uma imagem reconstruída por uma engenhoca eléctrica. ;)

Beijo,

R.

TERESA SANTOS disse...

Para além de aprenderes qualquer coisita, os teus neurónios começaram a funcionar a 300 à hora!
Não foi por acaso que a reunião correu tipo "cinco estrelas!"
Beijinho.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Os neurónios já trabalhavam a 300 à hora! O problema era mesmo abrandá-los e adormecer. :)

R.

A Senhora disse...

Você piorou as coisas! :))

Se com uma engenhoca eletrônica que mostra mulheres nuas você aprende pouca coisa, o que dizer quando tiver uma mulher ao lado?! :))

beijinhos

R. disse...

@A Senhora:

Ora, aprendo qualquer coisa, certamente, e não serão os números em alemão, né?!?

Qual piorou qual quê... ;)

R.

Marina disse...

E tambem compras revistas com senhoras desnudas com a desculpa de que estas a aprender anatomia? ;-)

R. disse...

@Marina plus everyone:

Alguém me explica porque é que num texto "enorme" está toda a gente concentrada em duas linhas!??

XD

R.

A Senhora disse...

:)))
Porque é uma delícia "atormentar" alguém com bobeiras. :))

beijocas

R. disse...

@A Senhora:

Sei. :)

R.

TERESA SANTOS disse...

É preciso explicar?! Pois é!:)

TERESA SANTOS disse...

Ainda os efeitos daquela famosa aula de alemão!! Nem sequer tens tempo para postar umas palavrinhas!
As melhoras, Amigo.
Abraço.

P.S Sabes dizer-me (agora uma lição bloguenta) porque é que o meu último post, aqui na coluna direita do teu blog, já é tão antiga? Já me colocaram esta questão, mas não tenho resposta para ela.
Venha daí essa lição, MESTRE!

R. disse...

@TERESA SANTOS:

A aula de alemão foi fácil. Estas últimas semanas de trabalho é que têm sido doidas!

Quanto à antiguidade da mensagem, também não tenho explicação. Mas já vi que acontece em mais blogs para além d'O Gato do Castelo. Problema do próprio Blogger...?

R.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Vês como ser-se perfeccionista só traz inquietações supérfluas? :) O discurso estava ensaiado, a apresentação mentalmente feita. O perfeccionismo é que traz o resto. Felizmente correu tudo bem :) E, afinal, a apresentação éra em inglês. valha-nos isso ;)Fico feliz por ti.

abraço

R. disse...

@Daniel Silva:

Mais do que o perfeccionismo, o motivo da inquietação era mesmo o factor novidade, ou, melhor dizendo, a pilha de novidades.

Abraço,

R.

Didas disse...

Sim, eu também entenderia os números e as pommes frites. Mas nada mais, lol!

TERESA SANTOS disse...

Posso ajudar em alguma coisinha?!Pobrezito!...
Pois é, provavelmente é culpa do blogger.Santa ignorância!...
Tenho que ver se descubro o que se passa.

Abraço e boa semana (se possível com menos trabalho).

Gonçalo disse...

Olá!
A Aventura e o desafio será uma constante na noite de 21 de Novembro em Lisboa. Conto com o teu espírito aventureiro. O Lobinho já lá está. Do que estás à espera para o conheceres também? :)

Fico a aguardar por um sim! :)

R. disse...

@Didas:

Bem vinda ao meu humilde tasco (ainda uns furos abaixo, portanto, da padaria). ;)

R.

R. disse...

@TERESA SANTOS:

Obrigado pela oferta, mas são mesmo coisas que eu próprio tenho de resolver. Daqui até ao fim do ano não se avizinha descanso...

R.

R. disse...

@Gonçalo:

Bem vindo de novo.

Eu estou sempre pronto para a vida airada, mas este Sábado não é um bom dia. :(

R.