terça-feira, 28 de julho de 2009

Limitação de responsabilidade

Recebi uma chamada telefónica há um par de semanas: o meu primo C. marcava-me na agenda o baptizado do seu garoto mais novo para dia 1 de Agosto. Aquilo que é suposto ser um dia de festa tem a condição, para muita gente, de um incómodo enervante. Eu não consigo fugir a isso e estava mesmo com muito pouca vontade de passar um dia inteiro no evento.

Nova chamada ontem: o baptizado fica adiado sine die. Infelizmente a minha tia (avó do cachopo) deu entrada no hospital, de urgência, com um problema de saúde.

Minha querida tia, eu sei que não vais ler isto mas quero que saibas:

a) Que te desejo as melhoras rápidas, esperando que esse problema seja apenas um susto ligeiro que passa e nunca mais te lembres dele;

b) Que, apesar de não estar com vontade nenhuma de ir ao baptizado, não roguei pragas para que acontecesse algum contratempo! Não fui eu!

8 comentários:

mf disse...

Não sei, não... Cheira-me que olhar mortífero de gato andou por aí! Eh eh

A Senhora disse...

:))) Parece que o desejo de se livrar da intimação foi forte, mesmo! Tem até uma pitada de culpa!

Mas é um dia inteiro isso?! Uau!

beijinhos

R. disse...

@mf:

Como bem sabes, olhar de gato não mata! :)

R.

R. disse...

@A Senhora:

Sim, é um dia inteiro isso! Depois da primeira experiência trocaria o "Uau!" por um "Puxa vida!". :)

Beijinho,

R.

Erika Freitas disse...

Humm, as vezes a gente roga praga e nem sabe... rs. Melhoras pra sua tia! :)

R. disse...

@Erika Freitas:

Juro pelo que há de mais sagrado para mim (os meus bigodes, evidentemente) que não roguei praga! ;)

R.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já por cá tinha passdo, mas na altura não tive oportunidade para deixar um comentário e agradecer sua visita ao Rochedo.
Gostei de conhecer o seu blog e vou voltar mais vezes. Espero, também, que continue a participar, com tanto brilhantismo como hoje, nos passatempos do meu canto.

R. disse...

@Carlos Barbosa de Oliveira:

Irei passando pelo Rochedo, sim. Os gatos são criaturas terríveis, sabe? Adoram elogios rasgados como esses ainda que os saibam imerecidos. :)

R.