domingo, 6 de setembro de 2009

Coisas boas

Habituamo-nos depressa às coisas boas. Depressa demais. Sabem-nos bem, infundem-nos uma alegria enorme quando acontecem. Gostamos, e é com susto que se constata como nos fazem falta. Assim, num ápice, num estalar de dedos. Paira por aqui a estranha sensação de principezinho e raposa em surdina. Batatas para mim.

9 comentários:

A Senhora disse...

Coisa boa para mim é viajar... muito! :) Sempre me acostumo mal.

Agora, nem se eu procurasse em dicionário acharia: "principezinho e raposa em surdina. Batatas para mim. " . Parece mais aquela expressão "brincadeira de gato e rato".

beijinhos e bom domingo!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

hum...

mfc disse...

ohhh... como te entendo!

A Senhora disse...

Não é no diálogo entre o principezinho e a raposa que sai aquela famosa frase: tu és eternamente responsável por aquilo que cativas?

R. disse...

@A Senhora:

- Eu também adoro viajar. Apetece sempre mais um pouco.

- É esse principezinho safado mesmo.

- As expressões idiomáticas têm destas coisas: de vez em quando deixam-nos à deriva. :)

R. disse...

@Daniel Silva:

O comentário não é muito esclarecedor, mas é um prazer sincero ter-te de volta aqui ao Castelo depois das férias. :)

R.

R. disse...

@mfc:

Andas a concordar muito comigo! Um dia formaremos um clube... :)

R.

mf disse...

O estalar de dedos também pode devolver-te o que te faz falta. Nada se perde, tudo se transforma. :)

R. disse...

@mf:

Julgo que Lavoisier não considerou o estalar de dedos. Ainda assim desejo que estejas certa... :)

R.